• Carol Ussier

Aburi: uma day-trip perfeita


Seja em uma day-trip de Accra, para passar o final de semana ou no caminho para Koforidua (e as cachoeiras da região), Aburi é o destino ideal para quem quer relaxar e não gastar muito. Minha ideia original era passar o final de semana por lá. Porém como eu não tinha reservado hospedagem e acabei descobrindo que a cidade fica a apenas 1h de Accra, acabei mudando de ideia e voltei no mesmo dia. ​

Eu recomendo muito fazer o que eu fiz, mas com certeza existem outras coisas para serem descobertas na região (eu ouvi falar sobre trilhas, por exemplo). Portanto se a sua ideia for ficar mais de um dia por lá a dica é não deixar de reservar hotel. ​Eu comecei a minha jornada um pouco tarde, por volta de 11:45. A primeira parte do trajeto era chegar até a estação de tro-tro e no meu caso a mais perto era a estação Madina. Foi a primeira vez que eu peguei um tro-tro local, que não fosse para viajar. Foi uma experiência ótima e serviu para me motivar a andar muito mais de tro-tro e muitos menos de táxi aos finais de semana – já que durante a semana eu praticamente só ando a pé. Uma viagem que poderia ter custado GHS 15 se eu fosse de táxi, custou GHS 1,40. O que poderia ser um pouco difícil – achar o tro-tro correto e saber onde descer – acaba se tornando super tranquilo com a ajuda das pessoas de Gana (que se mostram a cada dia mais incríveis!). Apenas 22 minutos depois de entrar no primeiro tro-tro e eu teoricamente já estava na estação de Madina. Desci do tro-tro e por orientação do cobrador “segui o fluxo” até chegar na estação. Como acontece em quase todas as estações, a de Madina fica escondida no meio de uma feira. Ou seja, o primeiro desafio é conseguir atravessar a feira sem ser parada por todos os camelôs/vendedores. A dica é agir como se você soubesse o que está fazendo e continuar seguindo o fluxo.


Chegando na estação vem o segundo desafio: qual é o tro-tro para o seu destino? Quando você pensa em uma estação de transporte provavelmente você imagina um lugar minimamente organizado, com placas de destinos, portões de embarque e guichês. Mas as estações de tro-tro são um pouco diferentes. Mesmo tendo algumas dessas coisas como “guichês” e “placas” elas não são propriamente uma estação. Acho que a melhor forma para tentar descrever é falar que é um pátio aberto com terra batida e “organizado” por regiões.

Mas mais uma vez os ganeses foram pessoas super queridas e percebendo a minha cara de perdida me ajudaram a encontrar o tro-tro que ia até Aburi. Paguei GHS 4 e com o tro-tro cheio partimos por 1 hora até meu primeiro destino: o hotel Hillburi. ​Minha intenção original era me hospedar por ali. Mesmo sendo uma opção bem cara e muito acima do meu budget usual de viagens, eu queria me dar este presente. Por isso optei por ir direto ao hotel. Porém quando cheguei me deparei com a triste notícia de que não havia disponibilidade. Como boa mochileira que tento ser, não me abalei com a informação e mesmo não podendo me hospedar perguntei se poderia almoçar por ali. E aí veio a boa notícia: não apenas o restaurante serve comidas deliciosas e por um preço bem justo, como é possível usar a deliciosa piscina do hotel por uma pequena taxa (GHS 40).

Eu tomei um suco de abacaxi muito gostoso (como normalmente é em Gana) e comi um wrap. Existem muitas opções no cardápio, que vão desde comida local até pizza, passando por opções vegetarianas.

​Passada a fome e após alguns minutos me divertindo tirando fotos, fui aproveitar o meu investimento de GHS 40. Na própria área da piscina existem dois vestiários – um feminino e um masculino - que são bem limpinhos.

​​


Era a primeira vez que eu estava em uma região de montanhas em Gana e eu curti muito não apenas o clima, mas ver Accra por um outro ângulo. O que eu achei legal também é que muitos ganeses também passam o dia aos finais de semana por lá. Ou seja, não me pareceu algo que apenas turistas estrangeiros fazem.

​Como eu voltaria para Accra ainda no mesmo dia, perto de 16h me despedi de Hillburi e peguei um táxi para o centro de Aburi. O hotel fica à beira da estrada, portanto basta esperar qualquer táxi ou tro-tro passar por ali e acenar. Eu fui até Aburi em um táxi coletivo e paguei GHS 2. O motorista me deixou na “estação”, que no caso de Aburi não passa de uma rua de onde os tro-tros saem.

​Antes de retornar, decidi conhecer o jardim botânico que fica a apenas 5 minutos caminhando da estação. Paguei GHS 5, que é a taxa para estrangeiros, e caminhei um pouco pelo jardim. Ele é bem grande e possui espécies nativas da região e de outros lugares também. Além de observar a flora, também existe um helicóptero abandonado no jardim. Não existe nenhuma placa ou indicação que explique o motivo dele estar por ali. Mas achei bem exótica a mistura do verde do jardim com o cinza das ferrugens.

Vi alguns casais namorando, uma excursão de crianças brincando em um jardim e algumas pessoas fazendo pic-nic. Para quem gosta de áreas verdes é uma boa opção. Só é importante lembrar que estamos falando de Gana e que infelizmente a cultura por aqui ainda é de jogar o lixo no chão. Ou seja, além de muito verde você provavelmente também se deparará com muitas embalagens plásticas. Eu queria chegar em Accra antes de escurecer, para evitar a estrada à noite. Por isso não fiquei muito tempo no jardim botânico. Caminhei de volta até os tro-tros e entrei no primeiro da fila em direção à Accra. Mais 1 hora e meia e GHS 4 e eu estava em casa, renovada por um dia tão de paz e tranquilo =).

DICAS PRÁTICAS

COMO IR: ​De Accra, os tro-tros saem das estações de Madina e Accra Tema. Também existem tro-tros saindo de/para a cidade de Koforidua.

HOSPEDAGEM:

#Gana #Natureza #Montanha #África #Parques

18 visualizações
Ana Carolina Ussier

Uma mulher viajante, com sol em aquário e lua em sagitário. Tenho muitas versões: engenheira por formação, gerente de projetos por convicção e dançarina por vocação, mas acima de tudo uma grande incomodadora inconformada. Apaixonada por inclusão social e pelo universo feminino. Vivendo pela África Ocidental desde 2017, agora sem residência fixa.

 

Conheça mais

 

© 2017 by Carolando no Mundo. Todos os direitos reservados