• Carol Ussier

Valle Sagrado


Quando se trata de ruínas incas, Machu Picchu é o grande sonho de muita gente. E é claro que ele tem toda a sua magia. Porém Machu Picchu é apenas um de centenas de sítios arqueológicos no Peru. Sem contar os sítios que ainda não foram descobertos ou até mesmo “restaurados” (pois a grande maioria está no meio da floresta). O Valle Sagrado é um pote de ouro para quem quer descobrir esses lugares.

Como visitar o Valle Sagrado?

Antes de mais nada, se você está se perguntando se precisa reservar algum tour com antecedência a resposta é não! Os passeios pelo Valle Sagrado são a grande atração de Cusco (além de Machu Picchu) e existem inúmeras agências pela cidade e até mesmo dentro da maioria dos hotéis (é o caso do Loki, onde fiquei). ​ A dica é pesquisar em várias agências e escolher aquela que você se sentir melhor, pois todas oferecem basicamente os mesmo pacotes e com preços parecidos, o que as diferencia é o guia e o atendimento. Se puder conhecer o guia antes de fechar o pacote melhor ainda! Existem basicamente 3 pacotes com visita a ruínas:

Saqsayhuaman, Tambomachay, Qenqo e Pukapukara

​City tour: ​ dura meio dia (só vi opção saindo 13h) e inclui os sítios arqueológicos mais próximos à Cusco (Saqsayhuaman, Qenqo, Pukapukara e Tambomachay), além de alguns pontos turísticos na própria cidade. obs: dizem que é super corrido e que não vale a pena; eu não fiz mas alguns dos meus amigos conheceram essas ruínas de forma independente e foram andando de cusco. ~ USD 16 (não inclui Boleto Turístico - veja abaixo!)

Pikillacta e Tipón

​Valle Sul: todas as opções que eu vi saíam de Cusco 8h da manhã e retornavam por volta de 13/14h. Inclui 2 sítios arqueológicos - Tipon e Pikillacta- além de uma igreja da época colonial. ​ ​50 soles (não inclui Boleto Turístico - veja abaixo!) ​

Valle Sagrado : esse é o pacote mais famoso e inclui os sítios arqueológicos que estão entre Cusco e Águas Calientes (base para Machu Picchu) e em alguns casos Moray. Este tour dura 1 dia e vou detalhar mais sobre ele. ​​ ​50 soles (não inclui Boleto Turístico - veja abaixo!)

IMPORTANTE - BOLETO TURÍSTICO Além de pagar pelos pacotes, para ter acesso às ruínas é necessário comprar o boleto turístico. Opção completa: todos os sítios dos 3 pacotes e algumas atrações em Cusco, vale por 10 dias consecutivos e custa 130 soles. Opção alternativa: 70 soles e tem validade de 2 dias (e acesso a apenas alguns sítios). ​

Como funciona o tour “Valle Sagrado”?

Infelizmente eu só tive tempo de fazer o tour do Valle Sagrado. Eu comprei o pacote na agência dentro do Loki, mas como eu era a única do hostel fui alocada com um pessoal de outra agência. O nosso guia chamava Javier e no começo achei ele meio afobado demais. Preciso reconhecer que ele é muito bom e não só respondeu tudo o que perguntamos, mas também soube nos animar. O que acontece é que a distância entre cada lugar é longa e para tentar evitar o congestionamento de ônibus de turismo ou o horário de pico em cada sítio, o guia acaba apressando muito o grupo. É quase uma maratona em que cada agência compete para chegar primeiro nas ruínas. ​​

PISAC

Me buscaram no hostel 7:30 da manhã e a primeira parada foi por volta de 10:00 em Pisac.

Para mim o mais impressionante de Pisac são os terraços que eram utilizados para a agricultura. Mas o complexo é bem grande e acredita-se que além da agricultura, Pisac tenha sido um importante local militar e religioso. ​Poucas semanas antes do dia em que estive lá um deslizamento na região acarretou em um acidente fatal. Por isso grande parte das ruínas estava isolada e fechada para visitas. ​​

A segunda parada é o mercado de Pisac. Prepare-se para querer comprar tudo e para negociar os preços, principalmente se você quiser comprar jóias (dica: até eu que sou bem mão de vaca e quase não compro nada quando viajo fiquei com vontade de comprar jóias; são lindas!). Se você não levou água e snacks, esta parada também é uma boa oportunidade para isso. ​​

OLLANTAYTAMBO

A parada para o almoço acontece entre Pisac e Ollantaytambo. Fica a seu critério se deseja incluir o almoço no pacote ou não. Bom, como vocês sabem eu estava um pouco preguiçosa depois de quebrar o braço (se você não sabe, eu caí na Estrada da Morte), por isso incluí o almoço. Paramos em um restaurante bem grande com sistema “coma à vontade” e um buffet mega completo. Aproveitei para experimentar várias comidas típicas. ​Chegamos em Ollantaytambo 14:15. O sol estava super forte, mas a parte boa é que poucos grupos já estavam lá (e a ruína ainda não parecia um formigueiro humano). ​

Para mim a parte mais interessante desse sítio é observar os sítios arqueológicos que estão no topo das montanhas ao redor. Os fragmentos de pedra são muito grandes e é incrível pensar como eles foram colocados em lugares tão altos. E é claro que a minha parte engenheira (ela é pequena mas existe) ficou encantada com o que os Incas foram capazes de fazer, principalmente a parte hidráulica. ​ Obs: parece fácil, mas subir essas escadarias é uma boa forma de testar se já está aclimatado ou não. ​

CHINCHERO

A última parada foi por volta de 17:00, em um lugar um pouco menos Inca e um pouco mais colonial. Chegamos perto do horário do pôr-do-sol e a luz estava incrível. Na base de Chinchero, perto do estacionamento, é um ótimo local para experimentar o famoso choclo con queso (espiga de milho com queijo). ​

"MAS EU JÁ VOU PARA MACHU PICCHU, VALE MESMO A PENA?!" ​ Sim, super vale! Como eu disse no início, Machu Picchu é apenas o sítio mais famoso. Mas para entender a grandiosidade do império Inca você precisa visitar as outras ruínas. Porém se você tiver um pouco de tempo e não se importar em ter menos conforto eu tenho uma dica importante!

SUGESTÃO Consegue separar 2 dias para conhecer o Valle Sagrado? Sugiro fazer a rota de forma independente e parando em algumas cidades. Só não se esqueça que ver as ruínas sem ter um guia te acompanhando e explicando o significado de cada sítio arqueológico pode ser bem frustrante. Você vai conseguir tirar algumas fotos bonitas, mas vai perder toda a história por trás dos lugares (que é o mais incrível na minha opinião). De qualquer forma, é super possível contratar guias em cada entrada ou até mesmo se juntar a outros grupos. Com certeza vale a pena conhecer esses lugares sem fazer parte da maratona dos tours.

Eu gostaria de pelo menos ter dormido em Ollantaytambo (super charmosa), mas com o braço quebrado essa foi mais uma coisa que deixei de fazer. Animou? Então não se esqueça de seguir essas dicas práticas:

  • Leve protetor solar, pelo menos 1,5 litros de água e snacks (principalmente se você não planeja pagar caro no almoço)

  • Use as roupas e sapatos mais confortáveis que você tiver e tente aclimar antes (você subira alguns degraus..)

  • Não esqueça de levar um casaco de frio. Mesmo em dias quentes a temperatura cai depois do pôr-do-sol.

  • Resumo dos gastos: Boleto turístico (130 soles) + tour Valle Sagrado (50 soles) + almoço (40 soles)

#Peru #Ruínas #ValleSagrado

0 visualização
Ana Carolina Ussier

Uma mulher viajante, com sol em aquário e lua em sagitário. Tenho muitas versões: engenheira por formação, gerente de projetos por convicção e dançarina por vocação, mas acima de tudo uma grande incomodadora inconformada. Apaixonada por inclusão social e pelo universo feminino. Vivendo pela África Ocidental desde 2017, agora sem residência fixa.

 

Conheça mais

 

© 2017 by Carolando no Mundo. Todos os direitos reservados